Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O ensino da Teoria da Evolução só será feito em nível universitário, segundo autoridades

(afp_tickers)

A decisão do Ministério da Educação turco de eliminar a Teoria da Evolução do ensino médio provocou uma onda de indignação e denúncias por parte da oposição sobre uma "lavagem cerebral" dos estudantes colocada em prática pelo governo islâmico-conservador.

O diretor do Conselho de Educação, Alparslan Durmus, anunciou, no fim de junho, que a retirada da matéria faz parte da reforma educacional programada para entrar em vigor até 2019.

O ensino da Teoria da Evolução só será feito em nível universitário, segundo as autoridades.

Além disso, o currículo escolar terá uma abordagem mais eurocentrista no que se refere aos cursos de história.

O vice-primeiro-ministro Numan Kurtulmus classificou o ensino da evolução como "cientificamente obsoleto e podre".

Mas, para Feray Aytekin Aydogan, que dirige o poderoso sindicato de docentes Egitim Sen, crítico em relação ao governo, esta reforma é um passo atrás e "será negativa para o país".

"Não nos submeteremos ao obscurantismo. Continuaremos provendo a educação científica", afirmou a dirigente sindical.

Os detratores da reforma também criticam o fato de que não é dado espaço no ensino a história de Atatürk, pai fundador da República turca moderna e laica.

O ministério da Educação, contato pela AFP, não quis comentar a respeito.

AFP