AFP

Soldados turcos ao lado de bandeira do país, em Istambul, em 1º de maio de 2017

(afp_tickers)

Moradores de um distrito histórico de Diyarbakir, principal cidade do sudeste da Turquia de maioria curda, precisaram abandonar suas casas nesta segunda-feira a pedido das autoridades, que querem restaurar esta área muito castigada pelos combates com os rebeldes curdos.

As autoridades turcas afirmam que querem restaurar o distrito central Sur, cercado por muralhas da era romana inscritas no Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco.

O Sur foi totalmente danificado pelos combates registrados há dois anos entre as forças de segurança e do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), classificado como uma organização "terrorista" por Ancara e seus parceiros ocidentais.

Os combates foram retomados na região após a ruptura do frágil cessar-fogo com o qual o governo turco e os rebeldes curdos haviam tentado colocar fim a um conflito que deixou mais de 40.000 mortos desde 1984.

Cerca de 7.000 moradores de dois bairros do Sur tinham até esta segunda-feira para deixar suas casas. As autoridades já haviam evacuado e arrasado outros seis bairros, dos 20 que o distrito possui.

Os proprietários de uma casa receberam uma compensação financeira, diferentemente dos inquilinos.

AFP

 AFP