Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O premier turco, Recep Erdogan

(afp_tickers)

Autoridades turcas prenderam nesta terça-feira 33 policiais acusados, entre outras coisas, de escutas ilegais das conversas do primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan, e de pessoas ligadas ao chefe de governo, anunciou a imprensa.

Os 33 policiais foram detidos em 13 províncias do país, segundo o canal NTV, o que confirma a continuidade do processo de punição dentro da polícia e da magistratura.

A operação começou durante a madrugada em Istambul e prosseguiu em várias cidades do sudeste do país, de maioria curda.

Esta foi mais uma operação contra o movimento de Fathullah Gulen, ex-aliado de Erdogan, após o escândalo de corrupção que explodiu ano passado e que afetou o primeiro-ministro e pessoas de seu entorno.

Na semana passada, 31 policiais, incluindo comandantes, foram indiciados por várias acusações, incluindo formação e liderança de grupo criminoso, espionagem, escutas ilegais e falsificação de documentos.

AFP