Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Na UE, os países atingidos foram Bélgica, Holanda, Alemanha, França, Suécia, Reino Unido, Áustria, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Polônia, Romênia, Eslováquia, Eslovênia e Dinamarca

(afp_tickers)

Quinze países da União Europeia (UE), Suíça e Hong Kong foram afetados pela crise dos ovos contaminados - anunciou a Comissão Europeia nesta sexta-feira (11).

Na UE, os países atingidos são Bélgica, Holanda, Alemanha, França, Suécia, Reino Unido, Áustria, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Polônia, Romênia, Eslováquia, Eslovênia e Dinamarca, disse um porta-voz do Executivo europeu à imprensa.

Há granjas "bloqueadas" em quatro países, nos quais "se confirmou a presença da utilização ilegal desse produto": Bélgica e Holanda, origem da crise, além de Alemanha e França, segundo a mesma fonte.

Os demais integrantes da lista "receberam exportações procedentes desses quatro países", acrescentou.

A Comissão anunciou ainda que fará uma reunião com representantes desses países, em 26 de setembro próximo, para "tirar as lições" do episódio.

No centro dessa crise está o uso de fipronil por parte de empresas especializadas na desinfecção de propriedades agrícolas.

O caso veio à tona na semana passada, provocando a retirada de milhões de ovos de supermercados alemães e holandeses.

As investigações realizadas na Bélgica e na Holanda se aceleraram na quinta-feira, o que levou à detenção de dois diretores de uma empresa que teria usado essa substância em galinheiros para tratamento contra o piolho vermelho.

O fipronil está presente nos produtos veterinários utilizados em animais de estimação contra pulgas e carrapatos, mas seu uso é proibido em animais destinados ao consumo e à indústria alimentícia na União Europeia (UE). Em doses altas, pode provocar problemas neurológicos e vômitos.

AFP