Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Bandeiras da União Europeia

(afp_tickers)

A União Europeia solicitou nesta quinta-feira a Caracas que "garanta a segurança" dos deputados venezuelanos, um dia após o cerco ao Parlamento da Venezuela por parte de partidários do presidente Nicolás Maduro, que deixou sete feridos, revelou uma porta-voz da diplomacia comunitária.

"Esperamos que as autoridades garantam a segurança dos representantes do povo eleitos democraticamente e a integridade das instituições democráticas", indicou Catherine Ray, porta-voz do Serviço Europeu de Ação Exterior.

O bloco europeu reiterou que "uma solução pacífica à crise só virá do diálogo e da vontade política", algo "urgentemente necessário para o bem dos venezuelanos que merecem viver em segurança e em paz", acrescentou Ray em um comunicado.

A UE se pronunciou em várias ocasiões sobre a Venezuela desde o início da crise política.

O presidente da Eurocâmara, Antonio Tajani, chegou inclusive a apresentar sanções contra o governo de Maduro depois de se reunir em maio com o seu contraparte venezuelano, Julio Borges.

Na quarta-feira, Tajani condenou o cerco à Assembleia, "símbolo da democracia", enquanto pedia eleições no país "já".

AFP