Navigation

Um ano de notícias curiosas: 2020 também arrancou risadas

Um trem que descarrilou em 2 de novembro em Roterdã (Holanda) aterrissou milagrosamente sobre a escultura de uma cauda de baleia gigante que o salvou da catástrofe certa afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 15. dezembro 2020 - 10:50
(AFP)

Embora 2020 vá ficar na memória pela angústia provocada pela pandemia do novo coronavírus, o ano que termina também teve muitas situações divertidas e curiosas.

Confira algumas a seguir:

- Pedido de casamento "blindado" -

Um oficial russo recorreu ao romantismo no Dia dos Namorados, cercado por 16 blindados T-72B3 para formar um coração e pedir a mão da namorada.

Com um buquê de rosas vermelhas nas mãos, o tenente Denis Kazantsev ajoelhou na neve para pedir a namorada em casamento, no campo militar de Alabino, perto de Moscou.

"Não esperava", disse Alexandra Kopytova, antes de responder "Sim".

- Roubo de papel higiênico -

Armados com facas, três homens assaltaram o motorista de um caminhão no fim de fevereiro em um bairro de Hong Kong para roubar uma carga de papel higiênico, estimada em pouco mais de 1.000 dólares de Hong Kong (144 dólares americanos).

Após o aparecimento do novo coronavírus na China, uma histeria coletiva parece ter tomado conta de consumidores em todo o mundo, que estocaram papel higiênico com medo de que esgotasse.

- Esqui 'indoor' em pleno confinamento -

Confinado assim como todos os espanhóis, um barcelonês de 28 anos filmou a si mesmo no começo de abril tentando subir e descer uma montanha de lençóis na sala de casa.

Em um vídeo de 57 segundos, este esquiador amador aparecia acordando em um saco de dormir na sala de estar e depois subir uma montanha de lençóis brancos com ajuda de um bastão de alpinismo, antes de descer esquiando. Tudo foi filmado com uma câmera que ele havia instalado no teto da casa.

- Corona e Lockdown, os novos nomes da moda -

Para "combater os preconceitos" em torno da covid-19, duas mães do sudeste da Índia batizaram seus filhos, em abril, com os nomes Corona Kumar e Corona Kumari.

Também na Índia, um casal de trabalhadores que ficou bloqueado pela pandemia a milhares de quilômetros de casa, decidiu batizar seu filho com o nome "Lockdown" (confinamento) para lembrar este período "difícil".

- Chuva de maconha na Terra Santa -

Centenas de pequenos envelopes de maconha caíram do céu em setembro sobre a praça central de Tel Aviv para alegria de alguns pedestres, que se atiraram sobre este maná.

Milagre? Na verdade, foi uma iniciativa do grupo "Drone verde", que anunciou na rede de mensagens Telegram a intenção de reproduzir a "chuva de maconha" em outras partes do país. As duas pessoas que pilotavam o drone foram detidas.

- Uma serpente como máscara -

Em setembro, uma pessoa embarcou em um ônibus em Manchester com uma serpente píton enrolada no pescoço e no rosto, como se fosse uma echarpe.

"Ninguém se incomodou" até mesmo quando o réptil começou a circular pelo veículo, contou uma testemunha.

A possibilidade de recorrer a máscaras alternativas "não inclui pele de serpente, particularmente se ela continua colada na serpente", informaram as autoridades locais.

- Eleito triunfalmente depois de morto -

Seus seguidores o amavam demais para não lhe confiarem um novo mandato: falecido em 17 de setembro de covid-19, o prefeito em fim de mandato de uma pequena cidade romena foi reeleito onze dias depois.

E ao final da votação, os cidadãos foram a seu túmulo para "cumprimentá-lo" com velas na mão, informou pelo Facebook uma moradora de Deveselu.

- Um "chip" de esterco de vaca -

A Comissão Nacional da Vaca indiana anunciou, em meados de outubro, que desenvolveu um "chip" de esterco de vaca que protegeria seus usuários das radiações do telefone celular.

"Tudo isso foi demonstrado pela ciência", assegurou o presidente da agência oficial criada no ano passado pelo governo nacionalista hindu de Narendra Modi.

A maioria dos hindus considera a vaca um animal sagrado e alguns acreditam, inclusive, que sua urina e excrementos têm propriedades terapêuticas.

- Certificado sincero -

Um francês de 39 anos, interpelado em pleno toque de recolher, em novembro, escreveu no certificado justificando seu deslocamento que queria "quebrar a cara de um sujeito".

"O certificado foi escrito por ele mesmo com seu nome verdadeiro na hora de sair de casa", contou o policial, que lhe impôs multa de 135 euros. "Dissemos que a razão não era válida" para sair de casa.

- A Terra é plana? -

Os "terraplanistas" brasileiros costumam se encontrar em um restaurante em São Paulo, com mesas e cadeiras azuis "como o céu". Sendo minoria, o movimento conta com mais de 11 milhões de adeptos no país, 7% da população, graças às redes sociais, onde se sentem livres para compartilhar suas crenças.

- Preso na cauda -

Um trem que descarrilou em 2 de novembro em Roterdã (Holanda) aterrissou milagrosamente sobre a escultura de uma cauda de baleia gigante que o salvou da catástrofe certa.

Para o arquiteto Marteen Struijs, o metrô suspenso no ar é, em sim, uma obra de arte.

- "Fucking" muda de nome para "Fugging" -

Com a esperança de se livrar das piadas dos visitantes, os moradores da cidade austríaca de Fucking decidiram no fim de novembro renomear a cidade para "Fugging" a partir de 1º de janeiro de 2021.

Os curiosos costumam tirar fotos em frente a cartazes com o nome da cidade, que em inglês é um palavrão, às vezes em posições comprometedoras, para alimentar as redes sociais.

- Bolsonaro manda humorista para debochar da imprensa -

É conhecida a pouca simpatia que o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, tem pela imprensa. E para deixá-lo claro, em março, ele mandou um humorista vestido como ele para distribuir bananas aos jornalistas que o esperavam na saída do Palácio da Alvorada, em alusão ao ofensivo gesto com as mãos que o mandatário dirige algumas vezes aos repórteres.

Depois, o verdadeiro Bolsonaro apareceu rindo e tirando fotos com seu imitador, transmitindo a brincadeira em uma 'live' em sua conta no Facebook, onde tem 13 milhões de seguidores.

burs-mw/cds/af/mvv

Partilhar este artigo