Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Pessoas sentadas em árvore perto de rio, no Haiti, em 8 de setembro de 2017

(afp_tickers)

Um homem morreu e outro foi declarado desaparecido no Haiti devido às inundações provocadas pela passagem do furacão Irma, segundo o último boletim oficial, publicado nesta segunda-feira pelas autoridades haitianas.

Um homem idoso que tentava atravessar as águas durante a cheia de um rio na cidade de Mirebalais (centro) foi arrastado pela corrente no sábado, e as quatro pessoas que estavam com ele sobreviveram, indica o relatório emitido pelo Ministério do Interior.

O corpo do motorista de uma moto, de 35 anos, que também foi arrastado pelas águas de outro rio que transbordou na sexta-feira no mesmo departamento, ainda não foi encontrado.

As equipes de emergência contabilizaram 17 feridos nos seis departamentos haitianos afetados pelas inundações.

A trajetória do Irma se desviou levemente para o norte durante a quinta-feira, afastando-se das costas do Haiti, e os efeitos do furacão foram limitados no país mais pobre do Caribe, muito vulnerável aos incidentes climáticos.

O Irma provocou um grande aumento do nível das águas no nordeste do país e ventos fortes arrancaram os telhados de algumas casas precárias.

Cerca de 5.000 casas foram inundadas e 8.000 famílias, declaradas em situação catastrófica pelas autoridades do país, que disseram que as moradias dessas pessoas ficaram muito danificadas ou completamente destruídas.

O primeiro-ministro, Jack Guy Lafontant, visitou na tarde de sábado as zonas mais afetadas pelo furacão. Nesta segunda-feira, o governo anunciou a criação de uma comissão para avaliar os danos.

As famílias afetadas não estão cobertas por nenhum tipo de seguro, e foram privadas das suas únicas fontes de renda devido às perdas materiais, especialmente a destruição de pequenas plantações.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP