Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(2016) Local do assassinato de um policial atribuído pelo governo ao ELN

(afp_tickers)

Um soldado morreu e outros três ficaram feridos na Colômbia após a detonação de um artefato explosivo atribuída pelas autoridades ao ELN, única guerrilha em atividade no país e que negocia a paz com o governo, informou nesta sexta-feira (16) o Exército.

A explosão ocorreu na noite de quinta-feira no município de Tame, na localidade de Arauca, fronteira com a Venezuela, quando unidades militares cruzavam uma ponte em um veículo de modelo Kodiak e os guerrilheiros detonaram "artefatos explosivos improvisados", indicou a autoridade em comunicado.

Um soldado morreu durante a ação e os outros três soldados feridos "recuperam-se em um centro assistencial da região", localidade essa com presença e influência histórica do Exército de Libertação Nacional (ELN), acrescentou.

Além disso, durante as operações militares em Arauca, tropas do Exército capturaram quatro guerrilheiros do ELN, e receberam outros sete que "decidiram desmobilizar-se" do grupo, explicou a autoridade.

O governo de Juan Manuel Santos e o ELN, grupo que conta com aproximadamente 1.500 combatentes segundo dados oficiais, iniciaram diálogos em fevereiro buscando superar meio século de conflito armado. As negociações acontecem em meio ao confronto.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP