Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro

(afp_tickers)

A União de Nações Sul-Americanas (Unasul) declarou nesta terça-feira estar segura de que este ano haverá eleições na Venezuela, onde a oposição exige que o governo fixe uma data para as mesmas.

"Haverá eleições na Venezuela este ano, e isso é tão certo quanto a Constituição Bolivariana afirma que a nova Assembleia deve tomar posse na primeira semana de janeiro do próximo ano", indicou o órgão em um comunicado divulgado em Quito, onde funciona a secretaria-geral da Unasul.

Os opositores do governo de Nicolás Maduro se mobilizaram para exigir o anúncio das eleições parlamentares, nas quais aspiram recuperar espaço em meio à difícil situação econômica que atormenta o presidente.

Os adversários mais radicais, como Leopoldo López e Daniel Ceballos, atualmente presos por suspeita de conspiração, iniciaram há duas semanas uma greve de fome para pressionar o governo a "definir a data para as eleições legislativas com observadores internacionais."

Por sua parte, a Unasul ressaltou que "o momento para resolver as diferenças entre os venezuelanos será a próximo jornada eleitoral".

Também indicou que "continuará a defender através de vias discretas e canais diplomáticos a institucionalidade democráticas do país, bem como o direito dos venezuelanos de resolver pacificamente as suas próprias diferenças."

vel/ja/mr

AFP