AFP

Logo da United Airlines

(afp_tickers)

A companhia americana United Airlines se comprometeu nesta quinta-feira a reduzir o overbooking em voos e a oferecer até 10.000 dólares aos passageiros que cederem voluntariamente seu assento quando o avião estiver cheio.

Estas medidas formam parte de uma série de 10 ações adotadas pela companhia aérea americana ao término de uma auditoria interna sobre a expulsão à força de um passageiro em um voo doméstico no dia 9 de abril.

A United, cuja gestão do incidente gerou uma onda de indignação, elevará a 10.000 dólares o montante que um passageiro pode receber em compensação por seu assento em um voo lotado. Este montante chegava a 1.350 dólares até agora.

Desta forma, a companhia aérea se alinha com sua rival Delta Air Lines, que adotou uma medida similar no dia 17 de abril, enquanto a American Airlines decidiu que não será mais possível obrigar um passageiro a ceder seu assento.

A United vai muito mais longe ao garantir que reduzirá o overbooking em seus voos, uma decisão que pode afetar suas receitas e lucros.

O overbooking é uma técnica comercial que permite que as companhias aéreas vendam antecipadamente mais assentos que os disponíveis em seus aviões.

A companhia aérea também confirmou que não recorrerá mais à polícia em caso de discussão entre seus tripulantes e um passageiro, salvo por razões de segurança.

AFP

 AFP