Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Uma universidade do Sri Lanka se defendeu de alegações de crueldade com os animais, depois de ter sido acusada de matar de forma desumana dezenas de gatos e cães em um abate em massa no campus

(afp_tickers)

Uma universidade do Sri Lanka se defendeu de alegações de crueldade com os animais nesta segunda-feira, depois de ter sido acusada de matar de forma desumana dezenas de gatos e cães em um abate em massa no campus.

Dardos tranquilizantes foram usados para sedar os animais perdidos na prestigiosa Universidade de Moratuwa, mas muitos morreram com a dose aplicada, disseram os ativistas.

"Este é um tratamento cruel e brutal de animais e queremos que medidas sejam tomadas contra os responsáveis", disse à AFP a ativista dos direitos dos animais Wibodha Ambeygoda.

Ela disse que as autoridades da universidade removeram os animais paralisados do campus e os largaram a 20 quilômetros dali para morrer.

Um porta-voz da universidade disse que uma empresa privada foi contratada para abater os animais.

O Sri Lanka tem leis rigorosas em relação à flora e à fauna, e a crueldade com animais é punida com até cinco anos de prisão.

Seis pessoas foram presas em março do ano passado depois de postar fotos on-line em que apareciam esfolando uma ave viva.

AFP