AFP

Bandeira norte-coreana na embaixada da Coreia do Norte na Malásia, em 11 de março

(afp_tickers)

Uma universidade norte-coreana confirmou nesta segunda-feira a detenção de um americano, o que eleva a quatro o número de cidadãos dos Estados Unidos detidos no país, em um momento de tensão provocado pelo programa nuclear da Coreia do Norte.

Kim Hak Song foi detido no sábado por "atos hostis", anunciou no domingo a agência oficial de notícias norte-coreana. Ele trabalhava para a Universidade de Ciências e Tecnologia de Pyongyang (USTP).

Esta universidade, fundada por missionários cristãos estrangeiros, abriu as portas em 2010 e tem vários professores americanos. Seus alunos integram a elite do país.

A USTP confirmou a detenção e explicou que Kim foi detido quando pretendia sair do país, onde estava há algumas semanas.

"Durante sua visita, o senhor Kim estava na USTP para realizar tarefas de desenvolvimento agrícola na granja experimental da USTP", afirma a universidade em um comunicado.

A detenção "não tem nenhuma relação com seu trabalho na USTP", completa o texto.

Há duas semanas, outro professor americano, Tony Kim, foi detido na Coreia do Norte. Ele dava aulas de contabilidade, também na USTP.

As duas detenções coincidem com o aumento da tensão entre Coreia do Norte e Estados Unidos pelo programa nuclear e balístico norte-coreano.

Desde 2016 o regime comunista de Pyongyang realizou dois testes nucleares e vários lançamentos de teste de mísseis, em uma tentativa de desenvolver um míssil com a capacidade de atingir o continente americano.

AFP

 AFP