Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente Evo Morales em Brasília em 17 de julho de 2015

(afp_tickers)

Um vídeo que circula na Internet, no qual se vê o presidente Evo Morales ordenando que um assessor amarre o seu sapato, provocou polêmica nesta terça-feira na Bolívia, enquanto o governo denunciava uma montagem.

"Evo ordena que amarrem seu sapato. Esta é a igualdade que ele promove com o socialismo do Século XXI", disse o líder opositor e ex-candidato presidencial Samuel Doria Medina em suas contas no Facebook.

O vídeo, aparentemente gravado com um telefone celular e que se tornou viral, mostra Morales entrando em um ginásio de esportes, cumprimentando alguém e percebendo que está com o sapato desamarrado. Em seguida, ordena que um assessor amarre o cadarço enquanto prossegue conversando.

O senador oposicionista Arturo Murillo qualificou a atitude do presidente de "ato de humilhação de um ser humano".

Doria Medina publicou uma foto do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, amarrando o próprio sapato e escreveu: "nem todos que detêm o poder cometem abusos".

O deputado governista do Movimento Ao Socialismo Víctor Borda reagiu levantando suspeitas sobre as imagens: "não dou credibilidade ao que se publica no Facebook, nem sequer há um autor (...) e o vídeo pode ter sido editado"

AFP