Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) A Universidade de Calgary, vítima de um ataque de hackers, pagou um resgate de 20.000 dólares canadenses (US$ 15.700) para recuperar seus servidores de e-mail, uma decisão que desatou críticas nesta quarta-feira afirmando alimentar esse tipo de delito

(afp_tickers)

A Universidade de Calgary, vítima de um ataque de hackers, pagou um resgate de 20.000 dólares canadenses (US$ 15.700) para recuperar seus servidores de e-mail, uma decisão que desatou críticas nesta quarta-feira afirmando alimentar esse tipo de delito.

"A Universidade de Calgary foi alvo de um ataque cibernético que afetou seus sistemas (de informação)", disse a direção, assinalando que tantos seus funcionários administrativos e docentes como estudantes foram privados de seus e-mails durante dez dias.

Após ter "pago por um resgate de cerca de 20.000 dólares" mediante a moeda digital Bitcoin, os funcionários dos serviços de informação da universidade recuperaram as chaves que lhes permitiu desbloquear os servidores.

"Não há nenhum indício que os dados pessoais ou da universidade" tenham sido publicados na internet, disse a administração.

A polícia de Calgary está a cargo de investigar o ciberataque, uma prática cada vez mais difundida e que afeta as empresas, órgãos públicos e, inclusive, particulares.

Linda Dalgett, diretora financeira e administrativa da universidade, defendeu a decisão de pagar um resgate para evitar um impacto excessivo na reputação e no trabalho que os investigadores desenvolvem.

"Realizaremos investigações à nível mundial aqui (...) e não queríamos estar em uma situação que não poderíamos recuperar o trabalho de uma vida toda" de nossos funcionários, disse a funcionária.

Uma posição criticada por David Shipley, diretor estratégico da Universidade de New Brunswick, considerando que a decisão de pagar o resgate "põe as outras escolas canadenses em perigo".

Para Mark Nunnikhoven, um dos diretores da empresa de segurança Trend Micro, "vamos ver cada vez mais (ataques) dessa maneira".

"Não há dúvida de que a decisão foi difícil de ser tomada pela Universidade de Calgary", escreveu na rede Linkedin sem criticar a decisão.

Certamente, acrescentou o especialista, é recomendável não pagar resgate para não alimentar os hackers. Mas, responder as exigências da pirataria pode se explicado pois "seus dados podem ser extremamente valiosos e vitais para sua empresa".

AFP