Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Vacina contra o Ebola é vista em Conacri, Guiné, no dia 10 de março de 2015

(afp_tickers)

Milhares de trabalhadores de saúde que lutam contra o Ebola em regiões da África afetadas pela epidemia, como Serra Leoa, começam a receber uma vacina experimental para combater este vírus mortal - anunciaram as autoridades nesta terça-feira.

A vacina candidata, VSVD - ZEBOV, foi desenvolvida pela Agência Canadense de Saúde Pública e sua licença foi concedida às farmacêuticas norte-americanas NewLink Genetics e Merck.

Ele será entregue a 6.000 profissionais de saúde e outros profissionais que estarão na linha de frente na luta contra o Ebola nos próximos meses, informou em comunicado o Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

A vacina experimental, conhecida como STRIVE (acrônimo para Teste de introdução da vacina contra o Ebola em Serra Leoa), será administrada em alguns distritos de Serra Leoa.

No final de março a vacina já havia sido estudada em mais de 800 pessoas, como parte de testes clínicos na África, no Canadá, na Europa e nos Estados Unidos. Até agora, parece segura e aqueles que a tomaram ficaram imunes ao Ebola.

"A vacina não pode causar uma doença pelo vírus Ebola, mas pode estimular uma resposta imunitária para proteger o corpo da doença", disse o CDC.

A pior epidemia de Ebola da História começou no final de 2013 e matou mais de 10.000 pessoas, principalmente na Libéria, Serra Leoa e Guiné.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

AFP