Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O ecsritor peruano Mario Vargas Llosa, em Madri, no dia 6 de junho de 2017

(afp_tickers)

O escritor peruano Mario Vargas Llosa afirmou neste domingo que será quase impossível que a Venezuela recupere a democracia de maneira pacífica e mediante eleições ante a "condição ditatorial" do governo de Nicolás Maduro, em um artigo no jornal El País.

"Na triste situação a que chegou a Venezuela, é pouco menos que impossível - a menos que haja uma fratura traumática do próprio regime - que o país recupere a democracia de maneira pacífica, através de eleições limpas", indicou o Nobel de Literatura 2010.

"Alguém acredita que Maduro é capaz de se deixar derrotar nas urnas?", questionou o escritor, ferrenho crítico do governo socialista venezuelano.

Assinalando que a oposição apresentou candidatos às eleições de governadores de outubro, Vargas Llosa questionou anda: "Há alguma possibilidade de que sejam eleições de verdade, onde o mais votado vai vencer?"

"Eu creio que não e, claro, gostaria de estar equivocado", respondeu o escritor que é firme defensor do liberalismo político e econômico.

Lamentou o "empobrecimento vertiginoso" sob o governo Maduro e seu antecessor, Hugo Chávez, acrescentando que "não há precedentes na história da América Latina de um país que tenha sido tão destruído econômica e socialmente como aconteceu na Venezuela".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP