Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Corpo da vítima é retirado do local do ataque

(afp_tickers)

Um homem avançou com seu veículo na manhã desta segunda-feira contra dois pontos de ônibus em Marselha, sudeste da França, uma ação que deixou um morto e uma pessoa gravemente ferida, informou a polícia, que descarta a pista terrorista.

A notícia provocou alertas quarto dias depois do atentado com uma van em Barcelona que deixou 15 mortos e 120 feridos, mas as autoridades indicaram que seguem a pista de um ato cometido por um desequilibrado

"Nenhum elemento credencia a tese de um atentado terrorista", afirmou o promotor de Marselha, Xavier Tarabeux, antes de informar que o suspeito tinha "uma carta de uma clínica psiquiátrica".

O incidente aconteceu entre 6H30 e 7H30 GMT (3H30 de 4H30 de Brasília) e o motorista foi detido.

O veículo, uma van Renault Master, avançou contra um primeiro ponto de ônibus no distrito 13, ao nordeste da cidade portuária e deixou uma mulher gravemente ferida. A vítima foi hospitalizada.

Depois o motorista seguiu para o distrito 11, mais ao sul, onde a avançou contra um segundo ponto e matou uma pessoa.

O prefeito do distrito 11, Julien Ravier, afirmou ao canal BFMTV que a vítima fatal era uma mulher com idade por volta de 40 anos e que estava sozinha no ponto de ônibus.

Segundo fontes policiais, o suspeito tinha antecedentes penais por delitos menores.

A zona do Porto Antigo de Marselha, onde o suspeito de 30 anos foi detido, está completamente isolada.

Em uma mensagem no Twitter, a polícia informou que uma operação estava em curso e pediu aos moradores que permaneçam afastados da área dos atropelamentos.

Dezenas de moradores e curiosos se reuniram nas proximidades, mas a polícia bloqueava a passagem.

"Estou aqui há uma hora. Vimos muitas patrulhas e instintivamente pensamos que algo estava acontecendo. É muito preocupante. Continuo consternado com o que aconteceu em Barcelona. É difícil ver isto e perceber que pode acontecer no local em que você mora", disse Armando dos Santos, residente no bairro histórico.

O uso de veículos como arma de terror é um método atribuído ao grupo Estado Islâmico ou reivindicado pelo grupo extremista em Nice, Berlim e Londres.

Os países europeus investiram em dispositivos para tentar proteger a população, mas este tipo de ataque é muito difícil de ser evitado por completo.

A França, um dos países europeus mais afetados pelo terrorismo, se encontra em estado de emergência desde os atentados de 2015.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP