AFP

(Arquivo) Foto tirada em 28 de abril de 2016 mostra a entrada do edifício do The New York Times, na Oitava Avenida, em Nova York

(afp_tickers)

Embora a eleição presidencial tenha aumentado o número de leitores do New York Times ou do Washington Post, a venda de jornais nos Estados Unidos teve queda de 8% em 2016 em relação ao ano anterior.

Para as edições de segunda a sexta-feira, trata-se do 28º ano consecutivo de queda, segundo dados publicados na quinta-feira pelo instituto independente Pew Research Center, que fez o cálculo somando as vendas das edições impressas e digitais.

Nos últimos 25 anos, a quantidade de exemplares vendidos durante a semana quase caiu pela metade (-42,3%).

Em 1987 eram vendidos em média 62,8 milhões de jornais por dia durante a semana nos Estados Unidos. Em 2016, o número era de 34,6 milhões.

Para as edições de domingo, a queda também é de 8% ao somar a versão papel e digital.

Ao contrário do esperado, o faturamento teve um pequeno aumento (+0,3%) porque vários veículos subiram seus preços.

Apesar da queda das vendas, as receitas se mantêm há 20 anos e até chegaram a ter uma pequena alta há cinco anos.

O cenário é bastante diferente para a publicidade, cujo faturamento continua em retração apesar do aumento da publicidade on-line.

Em relação ao melhor ano em mais de meio século, 2005, o faturamento publicitário caiu em 31 bilhões de dólares. As receitas por anúncios publicitários caíram dois terços (-63%).

O faturamento publicitário das edições digitais continuam crescendo e representa agora quase um terço (29%) das receitas totais obtidas da venda do espaço aos anunciantes, mas este aumento ainda não consegue compensar a queda da publicidade impressa.

AFP

 AFP