Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Apesar de estimular as vendas com promoções, a GM vendeu 243.155 veículos em junho, uma redução de 5% em um ano

(afp_tickers)

As vendas de automóveis novos continuaram a cair nos Estados Unidos no último mês, com resultados abaixo do esperado para a General Motor (GM), principal fabricante americana.

Apesar de estimular as vendas com promoções, a GM vendeu 243.155 veículos em junho, uma redução de 5% em um ano. Analistas do escritório especializado Edmund.com tinham calculado uma queda bem menor, de apenas 1,8%.

A GM admitiu, na semana passada, que 2017 será o primeiro ano de queda nas vendas desde 2009.

Após uma alta em maio, as vendas da Ford voltaram a cair. A empresa vendeu 227.979 automóveis em junho, queda de 5,1% em um ano.

A Toyota, terceira maior vendedora de carros nos Estados Unidos, vendeu 202.376 veículos em junho, alta anual de 2,1%. O resultado ficou acima do que os analistas esperavam - 198.426 automóveis.

"Os dados de vendas de junho reafirmam que nós estamos numa fase pós-pico", disse Michelle Krebs, analista-executiva da Autotrader.

"Ainda achamos que o mercado está nos trilhos para fechar um ano forte, mas certamente pior que o ano passado".

Veículos de médio porte venderam 18% a menos e carros compactos, 6%. Mas os modelos de picapes venderam 4% a mais e os SUVs e os crossover tiveram alta de até 10%, segundo Alec Gutierrez da Kelley Blue Book.

Gutierrez acredita que, com as baixas taxas de desemprego, confiança do consumidor elevada e mercados de ações com bom desempenho, o contexto aponta para o avanço das vendas.

"A indústria de veículos esfriou em comparação ao ano ritmo recorde do ano passado", explicou o gerente geral da Toyota, Jack Hollis.

AFP