Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A ex-miss venezuelana Mónica Spear, em Caracas, no dia 23 de setembro de 2004

(afp_tickers)

Um tribunal venezuelano condenou a 25 anos de prisão mais um cúmplice do homicídio da ex-miss Mónica Spear e de seu marido, em 6 de janeiro de 2014, em uma auto-estrada no centro do país - informou a Procuradoria Geral nesta quarta-feira.

Gerardo José Contreras Álvarez, de 25 anos, foi sentenciado pelo Tribunal 2º de Julgamento do estado Carabobo, "após admitir sua responsabilidade na morte da atriz Mónica Spear (29 anos) e seu marido, Thomas Henry Berry (39 anos)", informou a Procuradora Geral, Luisa Ortega, por meio de um comunicado.

Contreras foi acusado de homicídio doloso contra o casal e de tentativa de homicídio contra a filha de Mónica e Berry, de 5 anos.

Segundo a reconstituição dos fatos, na noite do crime, o casal voltava de uma viagem de turismo por uma autoestrada de Carabobo, quando o veículo em que estavam sofreu um acidente perto da localidade El Cambur.

As autoridades afirmam que, enquanto esperavam a chegada de um reboque, o casal e sua filha foram atacados por vários homens.

"Eles atiraram várias vezes no carro, ocasionando a morte do casal e ferimentos na menina", completou a Procuradoria.

Contreras Álvarez é o sexto envolvido neste crime a ser condenado, de um total de dez detidos. Os outros quatro estão sendo processados.

O Ministério Público lembrou que já "foram condenados a penas que oscilam entre 24 e 26 anos José Ferreira Herrera, de 18 anos, Jean Carlos Colina, de 19, e Nelfrend Jiménez Álvarez, de 21".

Além deles, dois adolescentes, de 15 e 17 anos, foram sentenciados a quatro anos de prisão e seis meses de rígidas normas de conduta, pena bem próxima do máximo legal permitido na Venezuela para menores.

AFP