Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, em coletiva em Caracas, em 17 de outubro de 2017

(afp_tickers)

A Assembleia Constituinte da Venezuela decidiu adiar para a quarta-feira a sessão na qual os governadores eleitos no domingo passado prestariam juramento, em meio ao questionamento dos resultados por parte da oposição e de países da América e da Europa.

A sessão, que estava prevista para a tarde desta terça-feira, ocorrerá às 11H00 local (13H00 Brasília), três dias após as eleições.

A cerimônia havia despertado grande expectativa, já que a opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD), derrotada nas eleições, afirmou que seus cinco governadores eleitos não prestarão juramento a uma instância considerada fraudulenta e ilegítima.

Os chavistas conquistaram 17 dos 23 governos estaduais, um resultado que surpreendeu a oposição, já que todas as pesquisas apontavam para uma derrota dos governistas liderados pelo presidente Nicolás Maduro.

Os governadores chavistas acompanharam Maduro em uma entrevista coletiva na qual fustigou os países que colocam em dúvida a lisura das eleições.

Estados Unidos, União Europeia (UE) e vários países da América Latina, que não reconhecem a Constituinte, manifestaram sua preocupação com a "ausência" de eleições livres na Venezuela.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP