Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, em Minsk, em 5 de outubro de 2017

(afp_tickers)

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ratificou neste domingo a retomada das negociações entre delegados do governo e a oposição, com uma reunião prevista para a próxima quarta-feira na República Dominicana, apesar de que seus adversários deixaram o encontro "em suspenso".

"Na quarta-feira 15 de novembro serão instaladas na República Dominicana as jornadas de diálogos com a oposição venezuelana, uma negociação de paz", disse Maduro.

"Acho muito bom que pela primeira vez o tenham assumido com valentia", acrescentou o presidente socialista em seu programa semanal na televisão estatal VTV.

No entanto, a aliança opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) deixou, no sábado, a reunião "em suspenso", ao alegar que o governo não aprovou os facilitadores internacionais acertados.

"O governo não aprovou a presença dos chanceleres de México, Chile, Paraguai, Bolívia e Nicarágua, que acompanharão o processo de negociação para a saída da crise política, econômica e institucional", afirmou a MUD em um comunicado.

Mas Maduro assegurou que há dirigentes opositores que participarão, apesar de rejeitarem em público as conversações. Ele mencionou o partido Vente Venezuela, liderado pela ex-deputada María Corina Machado.

No entanto, Machado qualifica as negociações como "uma traição" após a morte de cerca de 125 pessoas durante protestos entre abril e julho.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP