Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O ex-candidato presidencial Henrique Capriles (C), junto com mebros do seu partido Primero Justicia em uma conferência de imprensa em Caracas, em 7 de dezembro de 2015

(afp_tickers)

Primero Justicia, agrupação do ex-candidato presidencial opositor Henrique Capriles, afirmou neste domingo que ultrapassou a cota de apoio exigida no processo de renovação de partidos políticos na Venezuela.

"Conseguimos em todo o país, nos 23 estados e no Distrito Capital. Conseguimos quase 200.000 assinaturas. Cumprimos a meta em todos os cantos e isso nos anima; o assumimos com humildade", disse Capriles.

No total, 59 partidos devem se reinscrever no poder eleitoral por não terem participado nas duas últimas eleições ou não terem no mínimo 1% dos votos emitidos.

Os partidos devem recolher assinaturas equivalentes a 0,5% da lista eleitoral em 12 estados, em um período de dois dias por agrupação.

O processo, que foi iniciado há três semanas, esteve rodeado de críticas de formações opositoras e chavistas, que consideram que as máquinas de registro de impressões digitais disponibilizadas pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE) são insuficientes, assim como os prazos.

Capriles assegurou que em vários estados do país o poder eleitoral tentou evitar que seu partido alcançasse a cota.

"Foi um processo cheio de obstáculos e arbitrariedades. Nos tiraram máquinas, há pessoas que passaram até cinco horas em filas (...). Em estados como Carabobo, Francisco Ameliach (governador chavista) mandou pessoas para que a fila não andasse", apontou.

AFP