Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro (D), e o enviado do Departamento de Estado americano, Thomas Shannon, em Caracas, no dia 22 de junho de 2016

(afp_tickers)

A Venezuela expressou nesta segunda-feira sua intenção de normalizar as relações diplomáticas com os Estados Unidos, ao felicitar o país por ocasião do Dia da Independência.

O governo do presidente Nicolas Maduro, que há duas semanas recebeu o enviado americano Thomas Shannon, insistiu em sua "vontade de estabelecer relações diplomáticas bilaterais de respeito".

De acordo com um comunicado do ministério das Relações Exteriores, esse vínculo deve ser orientado pelo direito internacional e "princípios como a igualdade soberana dos Estados e o direito à auto-determinação dos povos".

Atendendo a um convite de Maduro, o secretário de Estado americano, John Kerry, enviou Shannon a Caracas para retomar os contatos suspensos desde o final do ano passado.

Ambos os países não têm embaixadores desde 2010.

Shannon se reuniu com Maduro, que disse estar confiante de que o presidente Barack Obama "corrigirá" a sua posição em relação à Venezuela.

No entanto, os dois governos protagonizaram uma nova disputa na semana passada, depois que Obama pediu respeito aos esforços da oposição para expulsar Maduro do poder através de um referendo revogatório.

O presidente venezuelano acusou Washington de ter uma "obsessão intervencionista".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP