AFP

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em Caracas, em 3 de maio de 2017

(afp_tickers)

A inscrição de candidatos para a Assembleia Constituinte convocada pelo presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, será feita na quinta e na sexta-feira da semana que vem, anunciou o Conselho Nacional Eleitoral (CNE).

Os postulantes deverão se inscrever em site e arrecadar assinaturas que apoiem sua candidatura, disse nesta quinta-feira a presidente do CNE, Tibisay Lucena.

Maduro convocou no dia 1º de maio uma Constituinte "popular", na qual um terço de seus integrantes será eleito por setores sociais, como trabalhadores rurais, estudantes e aposentados, por exemplo, que terão seus próprios representantes.

Os demais constituintes serão escolhidos em votações municipais, segundo o presidente, que tem uma rejeição entre sete em cada dez venezuelanos, de acordo com pesquisas privadas.

A eleição "será feita em dois níveis: o territorial e o setorial", informou Lucena, que na terça-feira passada disse que as eleições serão em julho.

A iniciativa é criticada pela oposição, que considera que Maduro tenta afastar assim qualquer outra eleição para manter-se no poder, enquanto enfrenta maciços protestos que deixam 57 mortos em quase dois meses.

Os adversários de Maduro garantem que o sistema de eleição da Constituinte -que chamam de fraudulento- nega a votação universal e envolverá somente a bases setoriais simpáticas ao chavismo.

Lucena informou que no total serão escolhidos 545 constituintes, incluídos oito por comunidades indígenas.

A distribuição por setores será entre estudantes (24 delegados), camponeses, pescadores (8), empresários (5), portadores de deficiência (5), aposentados (28), conselhos comunais (24) e trabalhadores (79), informou a funcionária.

O CNE definirá os registros eleitorais de cada setor para a coleta de assinaturas, cujo prazo não informou.

AFP

 AFP