Navigation

Venezuela mente sobre número de mortos por COVID-19, dizem HRW e Johns Hopkins

(Arquivo) Médico usa máscara no hospital Ana Francisca Perez de Leon, em Caracas afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 26. maio 2020 - 17:02
(AFP)

Os números sobre o coronavírus fornecidos pelo governo de Nicolás Maduro na Venezuela, com 10 mortes relatadas, são falsos e "absurdos", e uma estimativa conservadora poderia colocá-los em pelo menos 30.000, disseram nesta terça-feira (26) Human Rights Watch (HRW) e o Hospital Johns Hopkins (JHH).

"Em um país onde os médicos nem sequer têm água para lavar as mãos nos hospitais", onde "o sistema de saúde está totalmente em colapso", onde há "superlotação em bairros e prisões" (...) não parece credível para nós que existam apenas mil infectados e 10 mortos nessas circunstâncias", afirmou em videoconferência José Miguel Vivanco, diretor da HRW para as Américas, ao apresentar um novo relatório de ambas as organizações sobre o país sul-americano.

Segundo o governo venezuelano, até domingo passado o vírus tinha causado 1.121 casos e 10 mortos no país de 30 milhões de habitantes.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.