Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro

(afp_tickers)

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, pediu nesta terça-feira ao Papa Francisco ajuda para impedir que se concretize a advertência do chefe de Estado americano, Donald Trump, de intervir militarmente na Venezuela, assim como para um diálogo com a oposição.

"Que o Papa nos ajude ao diálogo respeitoso, à verdade, que o Papa nos ajude a impedir que Trump lance suas tropas e invada Venezuela. Peço ao Papa ajuda contra a ameaça militar dos Estados Unidos", disse Maduro em coletiva de imprensa.

Maduro se distanciou de Francisco e da secretaria de Estado do Vaticano, que acusa de confabular com a hierarquia católica local e com a oposição para desestabilizá-lo.

"Que não nos abandone", pediu o presidente.

Enquanto invocava a mediação do Papa, Maduro se referiu orgulhoso à sua aliança com a Rússia, especialmente nos âmbitos militar e petroleiro.

"A Venezuela tem o apoio da Rússia, pleno, total, absoluto", afirmou o mandatário, que anunciou uma próxima reunião em Moscou com seu homólogo Vladimir Putin, que qualificou de "um homem de paz".

Maduro disse que um objetivos do encontro será "continuar fortalecendo o acordo de cooperação militar", no marco do qual a Rússia vendeu à Venezuela aviões de combate Sukhoi Su-30, mísseis terra-ar e fuzis, entre outros equipamentos.

"Chegaram os melhores sistemas de armas da Rússia", destacou o presidente, ressaltando que ambos os países "construíram uma fortaleza para a defesa soberana da Venezuela".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP