Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Membro das Farc em Colinas, em departamento Guaviare, em 14 de junho de 2017

(afp_tickers)

Venezuelanos, equatorianos e brasileiros são os estrangeiros com maior presença nas fileiras da guerrilha Farc na Colômbia, que terminou seu desarmamento e se prepara para se reincorporar à vida civil, segundo um censo divulgado nesta quinta-feira.

Na principal e mais antiga guerrilha do continente, há pelo menos 54 venezuelanos, 16 equatorianos e oito brasileiros, de acordo com o informe da Universidade Nacional da Colômbia e da Agência para a Reincorporação e Normalização (ABR).

Há também dois chilenos, um argentino, um holandês, um francês, um panamenho e um dominicano, acrescentou.

O censo socioeconômico foi realizado em todo o país com os 10.015 integrantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que em novembro passado firmou um acordo com o governo para superar os 50 anos de conflito armado.

Do total, 55% eram combatentes, 29% milicianos e colaboradores e 16% presos da organização rebelde. Os homens eram a maioria, 77% do grupo.

AFP