Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Atriz Jane Fonda atua com Robert Redfort em "Our Souls at Night"

(afp_tickers)

Meio século depois de terem atuado juntos, as lendas do cinema Jane Fonda e Robert Redford voltam a dividir a tela em uma comovente história de amor, solidão e companheirismo no crepúsculo da vida.

"Our Souls at Night" (nossas almas na noite) estreou mundialmente nesta quinta-feira (1º) na 74ª edição do Festival de Cinema de Veneza, onde os dois veteranos serão homenageados com um Leão de Ouro por suas carreiras, duas das mais longas e bem-sucedidas do cinema dos Estados Unidos.

Baseada na obra de Kent Haruf, esta produção da Netflix foi dirigida pelo indiano Ritesh Batra.

"Queria fazer um último filme com ela antes de morrer", disse Robert Redford.

"Queria voltar a me apaixonar por ele", declarou-se Jane Fonda.

"Tem um beijo maravilhoso. Era tão divertido beijá-lo quando tinha 20 anos quanto será, de novo, quase aos 80 anos", elogiou a premiada atriz.

"Jane e eu temos uma longa história no cinema", lembrou Redford.

"Sempre foi fácil filmar com ela. As coisas aconteciam naturalmente. Não precisávamos de muita conversa, nem preparação, e continua sendo assim", completou.

Fonda e Redford interpretam os personagens Addie Moore e Louis Waters, dois vizinhos aposentados e viúvos que vivem uma vida aprazível em uma pequena cidade do Colorado.

Os dois se conhecem de vista há anos, mas sem qualquer intimidade. Tudo muda quando, por sugestão de Addie, decidem em uma noite dividir a cama, mas para sentir-se acompanhados e conversar, aliviando a solidão sentida por ambos.

À medida que a amizade cresce e se desenvolve, as conversas noturnas começam a ficar mais sérias e mais profundas. Addie e Louis compartilham segredos sobre como foram seus respectivos casamentos e sobre a relação com os filhos, já crescidos.

- 'O amor na terceira idade' -

"Há poucas ocasiões para fazer filmes que interessem a um público mais velho", comentou Redford, referindo-se a uma indústria do cinema que costuma se orientar para um público jovem.

"É um filme sobre a esperança. Nunca é tarde se você tem coragem e está disposto a assumir riscos", opinou Fonda, que declarou seu amor ao colega de elenco.

"Queria passar um tempo com ele e queria voltar a me apaixonar por ele. Sempre estive apaixonada por ele em todos os filmes que fizemos juntos!", confessou.

"Interpretamos o amor da juventude e, agora, o amor entre pessoas mais velhas e o sexo entre pessoas mais velhas, embora, para o meu gosto, o diretor tenha cortado rápido demais a cena de amor!", brincou a atriz.

"Robert não gosta das cenas de amor, mas eu vivo por elas!", completou Fonda.

Este é o terceiro filme de Batra, depois de "A Sense of an Ending" (2016) e do conhecido "Lunchbox".

O diretor, de 38 anos, nasceu no mesmo ano em que Redford, agora de 81 anos, e Fonda, de 79, atuaram juntos pela última vez. Foi em 1979, em um filme de Sydney Pollack, o western "The Electric Horseman".

A 74ª edição do Festival de Veneza começou na quarta-feira, com um desfile de estrelas e de lendas do cinema pelo tapete vermelho. Além dessa premiada e cultuada dupla, passarão pelo festival Matt Damon, Ethan Hawke, George Clooney, Javier Bardem, Penélope Cruz, Michelle Pfeiffer, Helen Mirren, Julianne Moore e Frances McDormand, entre outras celebridades.

m/hmw/me/eg/cc/tt

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP