Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O quelônio em dificuldades foi enviado a Bangcoc, onde uma radiografia revelou o tesouro que carregava no estômago, com moedas de vários países

(afp_tickers)

Uma tartaruga havia se tornado um 'pequeno cofre vivo' na Tailândia, até que veterinários extraíram de seu estômago 915 moedas que o animal havia ingerido no fundo de um tanque em que pessoas jogavam as peças de metal para ter sorte.

Ao longo do tempo, a grande tartaruga, de 25 anos, chamada de 'Omsin' em tailandês, foi acumulando as moedas até que teve que passar por uma impressionante operação de sete horas para a retirada de cinco quilos de metal.

O quelônio em dificuldades foi enviado a Bangcoc, onde uma radiografia revelou o tesouro que carregava no estômago, com moedas de vários países.

"Havia 915 moedas em seu estômago e a retiramos uma por uma", disse à AFP Nantrika Chansue, do Centro Veterinário de Chulalongkorn.

"Ela está bem agora, mas terá que permanecer no centro por mais duas semanas", informou a veterinária.

A tartaruga viveu durante duas décadas em um parque público da província de Chonburi.

Os visitantes jogavam as moedas no tanque em busca de sorte ou vida longa, prática que os veterinários pretendem desestimular.

"Uma tartaruga pode viver até 80 anos e a superstição é que jogar moedas fará com que o interessado tenha uma vida mais longa", explica Rungroj Thanawongnuvej, decano da Faculdade de Veterinária de Chulalongkorn.

"Mas jogar moedas provoca um carma ruim porque é torturar um animal", concluiu.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP