Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Imagem feita por um telescópio do Observatório Europeu Austral, da galáxia ativa Markarian 1018 que tem um buraco negro em seu núcleo, no dia 13 de setembro de 2016

(afp_tickers)

Nossa galáxia se desloca a uma velocidade de mais de dois milhões de km/h, e um dos responsáveis por esse movimento seria um imenso vazio no espaço profundo que a "empurra" - revela um estudo publicado na segunda-feira (30) na revista Nature Astronomy.

Embora não percebamos, a Terra gira sobre seu eixo a 1.600 km/h, e em volta do Sol a 100.000 km/h. O astro orbita o centro da Via Láctea a 850.000 km/h. E nossa galáxia navega a quase 2,3 milhões de km/h, ou seja, 630 km por segundo.

Há 40 anos, os astrofísicos tentam compreender o que causa o deslocamento da Via Láctea e sua direção.

Nos anos 1980, os astrônomos descobriram que uma região de aglomerados de galáxias situada a cerca de 150 milhões de anos-luz da Terra atraía a Via Láctea sob o efeito da gravidade.

Posteriormente, perceberam que um grupo de mais de duas dúzias de galáxias chamado Concentração Shapley, situado a 600 milhões de anos-luz, exercia o mesmo efeito.

Ambos os fenômenos eram insuficientes, porém, para explicar o movimento da Via Láctea.

O novo estudo revela o papel de um "vazio" extragaláctico, quase totalmente desprovido de matéria visível e invisível.

"Se você cria um vácuo em uma região do universo, os elementos que se encontram na periferia se afastarão, porque eles vão ser atraídos por outras regiões sob o efeito da gravidade", explicou à AFP o engenheiro francês Daniel Pomarede, integrante da equipe internacional de astrofísicos que fez o estudo, dirigida por Yehuda Hoffman, da Universidade Hebraica de Jerusalém.

"Cartografamos em 3D o fluxo das galáxias através do espaço e descobrimos que a Via Láctea estava se afastando a grande velocidade de uma vasta região muito pouco densa, até então não identificada", que foi chamada de Dipole Repeller, relatou Hoffman.

"Além de ser puxada em direção à conhecida Concentração Shapley, a Via Láctea também está sendo empurrada para longe do recém-descoberto Dipole Repeller", acrescentou.

AFP