Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A deputada do governista Partido Nacional (PN, de direita) e vice-presidente do Congresso de Honduras, Lena Gutiérrez, é vista em 12 de dezembro de 2012

(afp_tickers)

A deputada do governista Partido Nacional (PN, de direita) e vice-presidente do Congresso de Honduras, Lena Gutiérrez, foi acusada nesta quinta-feira de crimes contra a saúde pública, malversação de recursos públicos e fraude, informou a Procuradoria no Twitter.

Lena foi acusada junto com outros três familiares: o pai, Marco Tulio Gutiérrez, e dois irmãos, sócios da fabricante de remédios Astropharma.

"Eu me sinto um pouco surpresa. Estou mostrando a cara, porque não tenho nada a esconder", reagiu a deputada, em entrevista coletiva.

Ela admitiu que membros da família Gutiérrez foram sócios da Astropharma entre 2000 e 2009, mas garantiu: "vendemos nossas ações".

Desde janeiro, a Procuradoria investiga o desvio de US$ 300 milhões do Instituto Hondurenho de Seguridade Social (IHSS), por ordens do presidente Juan Orlando Hernández.

O presidente admitiu ter tido informes de que US$ 94.000 desses recursos "ingressaram" na campanha que, em 2013, levou-o ao poder.

Os fundos foram desviados para funcionários públicos e empresários, mediante compras superfaturadas de remédios e de equipamentos para os hospitais por parte dessa instituição.

Cerca de dez pessoas, entre funcionários e empresários, estão presas. Dezenas foram acusadas pela Procuradoria por atos de corrupção.

AFP