Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Ativistas opositores venezuelanos, em Caracas, em 31 de março de 2017

(afp_tickers)

Vinte países solicitaram nesta sexta-feira a convocação de uma reunião urgente do Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA) para avaliar o agravamento da crise na Venezuela.

O pedido, apresentado ao Conselho Permanente, é apoiado pelas missões na OEA de Brasil, Argentina, Bahamas, Barbados, Belize, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Guiana, Honduras, Jamaica, México, Panamá, Paraguai, Peru, Santa Lúcia, Estados Unidos e Uruguai.

Desta forma, a maioria dos 34 estados-membros da OEA se unem ao secretário-geral, Luis Almagro, no pedido de debate do caso venezuelano, após o Supremo do país decidir assumir as funções do Parlamento, dominado pela oposição.

Os mesmos países já haviam conseguido, na terça-feira, aprovar no Conselho Permanente uma discussão sobre a Venezuela, presidida pelo representante de Belize.

Mas a reunião urgente, que deve ocorrer na segunda-feira, será presidida pelo embaixador da Bolívia, um declarado aliado da Venezuela, que assume à meia-noite desta sexta a presidência do Conselho Permanente.

A Venezuela rejeita qualquer intervenção da OEA em seus assuntos internos.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP