Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O presidente americano, Donald Trump

(afp_tickers)

A Suprema Corte dos Estados Unidos anulou nesta terça-feira a decisão de um tribunal de apelação que havia bloqueado uma versão já expirada do decreto anti-imigração do presidente Donald Trump.

A alta corte deu assim uma vitória sobretudo simbólica ao mandatário republicano. O decreto proibia durante 90 dias a entrada de pessoas originárias de seis países majoritariamente muçulmanos nos Estados Unidos.

O decreto, firmado em 6 de março, foi questionado nos estados de Maryland e Havaí, onde a justiça determinou sua suspensão.

As cortes de apelações competentes em cada um dos casos, em Richmond (Virgínia) e San Francisco (Califórnia), confirmaram as decisões em maio e junho.

A Suprema Corte só anulou nesta terça-feira a decisão de Maryland. A suspensão decidida no Havaí entrou em vigor, mas seus dias parecem contados.

A Casa Branca assinou no final de setembro um novo decreto que proíbe de maneira permanente a entrada em território americano de pessoas originárias de sete países por razões de segurança nacional.

Esta última versão foi questionada na justiça pela União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU), que lidera a luta contra os decretos anti-imigração de Trump desde o começo, junto a outras organizações.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP