Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) Foto tirada em 21 de fevereiro de 2017 mostra o vocalista do Linkin Park Chester Bennington, em Nova York

(afp_tickers)

O vocalista da banda Linkin Park, Chester Bennington, que superou uma infância complicada e chegou ao topo das paradas musicais com seu rock pesado e melódico, foi encontrado morto nesta quinta-feira em um aparente suicídio. O cantor tinha 41 anos.

"Chocado e com o coração partido, mas é verdade", tuitou o guitarrista e principal compositor do Linkin Park, Mike Shinoda.

As autoridades de Los Angeles afirmaram ter recebido uma ligação pouco depois das 9h00 (13h00 de Brasília) dizendo que Bennington foi encontrado enforcado em sua casa, na luxuosa área de Palos Verdes Estate.

"Está sendo tratado como possível suicídio", declarou Brian Elias, chefe de operações do IML do condado.

Bennington havia contado nos últimos anos sobre a difícil infância vivida no Arizona. O cantor afirmou ter sofrido com o abuso sexual por parte de um amigo de sua família e ficou viciado em álcool e drogas pesadas após o divórcio dos seus pais, quando tinha 11 anos.

O Linkin Park tornou-se um grande sucesso na época do chamado novo metal, que incorporou estruturas do pop e hip-hop, com Shinoda muitas vezes fazendo rap entre os vocais de Bennington.

Bennington disse ter ficado comovido com a morte, em maio, de seu amigo Chris Cornell, cantor da banda grunge Soundgarden. Mas o vocalista não aparecia em público há algum tempo.

O Linkin Park tinha uma turnê prevista para começar na próxima semana, incluindo um show no estádio de beisebol do Citi Field de Nova York com outros grupos importantes da mesma geração, como Blink-182 e Wu-Tang Clan.

AFP