Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Meninas iemenitas em Sanaa, em 15 de outobro de 2017

(afp_tickers)

A decisão da coalizão liderada pela Arábia Saudita de fechar as fronteiras aéreas, marítimas e terrestres do Iêmen impediu que as Nações Unidas enviassem nesta segunda-feira (6) voos de ajuda humanitária ao país em conflito, segundo um porta-voz da ONU.

Funcionários do órgão multilateral estão em negociação com a coalizão no intuito de obter a autorização para que os voos possam ir ao local para prestar ajuda ao Iêmen, país onde cerca de sete milhões de pessoas passam fome.

"Não tivemos permissão para os nossos voos de hoje", disse o porta-voz, Farhan Haq. "Esperávamos dois voos e ambos estão suspensos até o momento".

A coalizão fechou as fronteiras do Iêmen após um ataque com míssil ocorrido no último fim de semana, realizado por rebeldes pró-iranianos, que foi interceptado nas proximidades do aeroporto de Riad.

A coalizão militar árabe, liderada pela Arábia Saudita, interviu no Iêmen em 2015 para apoiar o presidente Abd Rabo Mansur Hadi, até que forças rebeldes o forçaram a deixar o país.

Tanto a coalizão como os rebeldes são frequentemente criticados pelas Nações Unidas por impedir a ajuda direcionada aos civis.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP