Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A Bolsa novaiorquina havia fechado a segunda-feira sem direção definida, vencida pelos receios de uma semana carregada de dados econômicos de envergadura.

(afp_tickers)

Wall Street fechou em baixa em meio a preocupações sobre o impacto que novas sanções à Rússia podem ter sobre a economia mundial.

O Dow Jones caiu 0,42% ou 70,48 pontos, a 16.912,11 unidades e tecnológico Nasdaq 0,05% ou 2,21 pontos, a 4.442,70 unidades. O índice ampliado S&P 500 recuou 0,45% ou 8,96 pontos, a 1.969,95.

Os mercados em Nova York, que haviam começado o dia de negociações em alta, tiveram "uma reação instintiva" aos problemas na Rússia e na Ucrânia, destacou Dan Greenhaus, da BTIG em Nova York.

"Medidas como as adotadas contra a Rússia são sempre uma má notícia para a economia", destacou Jack Ablin, da BMO Private Bank.

Com o objetivo de forçar Moscou a suspender seu apoio à rebelião pró-russa na Ucrânia, a UE bloqueou o acesso das empresas e bancos russos aos seus mercados financeiros e proibiu as vendas de armas, de tecnologias sensíveis no campo energético e de bens com uso civil e militar.

Os Estados Unidos puseram três bancos russos em sua lista de sanções.

"A Rússia não é o Irã, é um país que tem muita importância em termos econômicos e geopolíticos", ressaltou Mace Blicksilver, da Marblehead Asset Management.

Cerca de 30% das importações europeias de gás e petróleo provêm da Rússia.

Alguns indicadores positivos nos Estados Unidos evitaram uma queda mais acentuada.

No mercado de títulos o rendimento dos bônus do Tesouro a 10 anos caiu a 2,462% contra 2,491% de segunda-feira, e o dos bônus a 30 anos ficou em 3,222% contra 3,262%.

AFP