Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A bolsa de Nova York em 2 de julho de 2017

(afp_tickers)

Wall Street fechou quase estável nesta terça-feira (11), após se recuperar do abalo provocado pela admissão do filho do presidente americano Donald Trump de que aceitou se reunir com uma advogada russa durante a campanha eleitoral de 2016.

O índice industrial Dow Jones ficou praticamente igual ao registrado na segunda-feira, a 21.409,07 unidades. O tecnológico Nasdaq avançou 0,27%, a 6.193,30 unidades, e o S&P 500 caiu 0,08%, a 2.425,53 unidades.

O mercado abriu estável, na espera pelos resultados trimestrais das grandes empresas e pelo pronunciamento da presidente do Fed, Janet Yellen, ao Congresso sobre o panorama econômico americano.

Contudo, no meio da sessão, as ações cambalearam quando Donald Trump Jr. decidiu tornar públicos seus e-mails a fim de responder a uma série de denúncias publicadas neste final de semana pelo jornal The New York Times, que revelou o encontro.

Essas revelações devolveram ao mercado o temor de que os problemas políticos tirem a atenção da Casa Branca do fortalecimento da economia.

A confiança, entretanto, se recuperou quando os investidores chegaram à conclusão de que a questão russa "ainda está sob controle", disse Jack Ablin, chefe de investimentos do BMO Private Bank.

Boeing e General Electric tiveram bom desempenho, com alta de 1%. A Pepsico recuou 0,5% após anunciar alta de 5% dos seus lucros no segundo trimestre.

A Snap, a matriz do aplicativo Snapchat, recuou 0,9% e fechou a 15,50 dólares após ter sua avaliação pelo banco Morgan Stanley rebaixada, devido a dúvidas sobre a capacidade da empresa de inovar, crescer e competir com o Instagram.

AFP