Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O serviço de mensagens WhatsApp pode ser vulnerável a intercepções, indica nesta sexta-feira o jornal britânico The Guardian, o que gera preocupação em torno a um aplicativo que se coloca como garantidor da privacidade dos seus usuários

(afp_tickers)

O serviço de mensagens WhatsApp pode ser vulnerável a intercepções, indica nesta sexta-feira o jornal britânico The Guardian, o que gera preocupação em torno a um aplicativo que se coloca como garantidor da privacidade dos seus usuários.

Segundo a publicação, as mensagens de WhatsApp podem ser lidas sem que seus usuários saibam devido a uma brecha de segurança na forma como a empresa implementou seu protocolo de criptografia de ponta-a-ponta.

O sistema conta com chaves de segurança exclusivas "que são trocadas e verificadas entre usuários para garantir que as comunicações são seguras e não podem ser interceptadas por um intermediário", diz o relatório.

Mas o WhatsApp pode forçar a geração de novas chaves de encriptação para usuários off-line "sem o conhecimento do remetente e do receptor das mensagens", disse.

O Facebook, proprietário do WhatsApp desde 2014, afirma que ninguém pode interceptar as mensagens do aplicativo, nem mesmo a companhia ou seus funcionários, e que garante a privacidade de seus mais de um bilhão de usuários.

Tobias Boelter, pesquisador de criptografia da Universidade da Califórnia, disse ao The Guardian que relatou tal vulnerabilidade ao Facebook em abril de 2016 e foi informado de que a empresa já estava ciente do problema, mas que não se estava trabalhando para resolvê-lo.

AFP