Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Visão geral durante o evento de lançamento do Windows 10, em Chicago, no dia 31 de julho de 2015

(afp_tickers)

Cerca de 14 milhões de pessoas instalaram o novo sistema operacional Windows 10, da Microsoft, durante as primeiras 24 horas após seu lançamento - anunciou nesta sexta-feira a gigante tecnológica norte-americana, comemorando a resposta "surpreendentemente positiva".

A empresa disse que seu novo sistema operacional para computadores, smartphones e outros dispositivos teve um grande impulso rumo à meta de ser instalado em 1 bilhão de dispositivos.

"Nos sentimos honrados e agradecidos por ver a resposta ao Windows 10", escreveu o vice-presidente da Microsoft, Yusuf Mehdi, na quinta-feira.

"Vimos uma demanda inédita pelo Windows 10, com comentários e opiniões dos clientes surpreendentemente positivos em todo o mundo".

O desafio é grande para a Microsoft, que lançou o sistema operacional tanto para computadores pessoais (PC), como para dispositivos móveis, smartphones e tablets.

A empresa espera, com este lançamento, ganhar adeptos no setor móvel, onde fica atrás do Android do Google e do iOS da Apple.

O Windows 10 -- que fou um salto da Microsoft diretamente do Windows 8, que teve uma resposta fraca -- está sendo oferecido como uma atualização gratuita para a maioria dos dispositivos, tornando acessível rapidamente para milhões de usuários.

O sistema operacional permite a interação por comando de voz, toque e gestos e, em alguns casos, também através da identificação biométrica para uma maior segurança.

O assistente virtual Cortana -- o equivalente na Microsoft ao Siri da Apple e ao Google Now -- também está integrado.

Mehdi informou que a empresa está desenvolvendo o software em fases para que a transição seja mais fácil.

"Nossa prioridade foi garantir que todo mundo tenha uma boa experiência de atualização, portanto estamos desenvolvendo o Windows 10 em fases" e entregando o software a nossos especialistas em Windows, afirmou o diretor.

Mesmo assim, o chefe executivo da Mozilla, que desenvolve o navegador Firefox Web, se queixou que o Windows 10 coloque como padrão o novo navegador Edge e elimine as opções prévias feitas pelos usuários.

"A experiência de atualização parece ter sido feita para eliminar as opções feitas pelos usuários sobre a experiência de internet que a Microsoft quer se seus clientes tenham", afirmou o executivo da Mozilla, Chris Beard, em carta aberta ao colega da Microsoft, Satya Nadella.

AFP