Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(2008) Woody Allen (e) e Harvey Weinstein na pré-estreia em Los Angeles do filme 'Vicky Cristina Barcelona'

(afp_tickers)

O diretor de cinema americano Woody Allen disse se sentir "triste" pelo produtor de Hollywood Harvey Weinstein, acusado de abuso e violência sexual, e chamou de "trágica" a situação das mulheres afetadas.

"Tudo sobre o caso Harvey Weinstein é muito triste para todos os envolvidos", disse Allen à emissora britânica BBC, no domingo à noite.

Dezenas de mulheres denunciaram terem sofrido assédio e abuso sexual por parte de Weinstein, e algumas vítimas afirmam, inclusive, terem sido estupradas pelo poderoso produtor.

O caso veio à tona em uma matéria feita do jornal "The New York Times".

"É trágico para as pobres mulheres envolvidas e triste por Harvey, cuja vida ficou arruinada", disse Allen.

"Não há ganhadores nisso. É simplesmente muito, muito triste e trágico para essas pobres mulheres que tiveram de passar por isso", disse o premiado cineasta.

Cinco mulheres acusaram Weinstein, de 65, de tê-las violentado, e mais de 20 - entre elas Mira Sorvino, Rosana Arquette, Gwyneth Paltrow, Angelina Jolie e Léa Seydoux, relataram terem sofrido assédio sexual.

No passado, Woody Allen foi acusado por sua filha adotiva Dylan Farrow de ter abusado dela quando era criança.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP