Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Em 2010,a população de tigres havia sido avaliada em 3.200 espécimes.

(afp_tickers)

A ONG WWF pediu nesta terça-feira a sete países da Ásia onde existem tigres selvagens, mas cuja população diminuiu 97% em um século, que realizem um censo desses felinos como medida indispensável para protegê-los e preservá-los.

"Enquanto não soubermos quantos tigres selvagens existem, nem onde se encontram, não poderemos protegê-los eficientemente", declarou em um comunicado o diretor da Global Tiger Initiative da WWF, Michaël Baltzer.

O pedido foi dirigido à Malásia, Indonésia, Tailândia, Mianmar, Laos, Camboja e Vietnã.

Em 2010, os chefes de Estado dos 13 países que constituem o habitat do tigre selvagem se comprometeram a duplicar sua quantidade até 2022. A população de tigres havia sido avaliada então em 3.200 espécimes.

O tigre é principalmente vítima da caça ilegal. A rota dos traficantes abrange da Índia à China, onde várias partes do felino valem muito caro, já que há 1.500 anos são utilizadas na medicina tradicional ou por suas supostas virtudes afrodisíacas.

Ao menos 1.590 tigres foram capturados entre janeiro de 2000 e abril de 2004, segundo o programa Traffic, uma rede de vigilância do comércio de espécies selvagens, citado pela WWF.

Os demais países da Ásia que realizam censos regulares são Índia, Nepal, Rússia, Butão, Bangladesh e China.

AFP