AFP

(Arquivo) Um zoológico britânico investiga a morte de uma tratadora atacada por um tigre, para o qual outros tratadores jogaram carne para tentar afastá-lo da colega

(afp_tickers)

Um zoológico britânico investiga a morte de uma tratadora atacada por um tigre, para o qual outros tratadores jogaram carne para tentar afastá-lo da colega.

O incidente, que aconteceu na segunda-feira, provocou a retirada de todos os visitantes do zoológico de Hamerton, leste da Inglaterra.

A mãe de Rosa King, vítima do tigre, que tinha 33 anos, disse que a filha adorava cuidar dos animais.

"Ela não teria feito nada diferente, era o que ela sempre fez, era o que sempre amou", disse a mãe, Andrea, antes de explicar que a filha trabalhava há 14 anos no zoológico.

A polícia do condado de Cambridgeshire, onde fica o zoológico, informou que não há circunstâncias suspeitas e que o tigre não foi sacrificado.

"Um tigre entrou em uma jaula com uma cuidadora. Infelizmente, a mulher morreu no local", afirmou a polícia.

King cuidava dos animais carnívoros.

De acordo com o site do zoológico, o parque abriga tigres da Malásia e Bengala.

A BBC citou uma testemunha que disse ter ouvido gritos e viu outros funcionários jogando carne na direção da jaula para tentar afastar o animal.

O zoológico anunciou que permanecerá fechado até a apuração das circunstâncias do incidente, mas insistiu que o público não correu nenhum perigo.

Garry Chisholm, 59 anos, um fotógrafo amador que conhecia Rosa King de suas visitas ao zoo, disse que o parque girava ao redor dela.

"Rosa não era apenas uma cuidadora do zoo de Hamerton, ela era o zoo de Hamerton", declarou.

AFP

 AFP