Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg

(afp_tickers)

O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, respondeu nesta quarta-feira ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que acusa a rede social de ser "sempre antitrump".

Zuckerberg rejeitou a afirmação de Trump garantindo que o Facebook está trabalhando para garantir "eleições livres e justas" com uma plataforma on-line que não favorece qualquer lado.

O post de Zuckerberg ocorre após o presidente americano acusar a rede social de ser parcial, em um tuíte escrito na manhã desta quarta-feira: "Facebook sempre foi anti-Trump. As redes sempre foram anti-Trump...".

"Trump diz que o Facebook é contra ele e os liberais dizem que ajudamos Trump. Os dois lados estão irritados com ideias e conteúdos dos quais não gostam, mas isto significa dirigir uma plataforma que dá oportunidade de expressão para todas as ideias".

O Facebook afirmou na semana passada que entregará ao Congresso dos Estados Unidos informação sobre anúncios publicitários relacionados à Rússia que foram publicados na rede.

A rede social revelou recentemente que, por apenas US$ 100.000, aparentes compradores vinculados à Rússia colocaram cerca de 3.000 anúncios em suas páginas no ano passado a fim de influenciar as eleições.

"Após a votação, eu afirmei que a ideia de que informação falsa divulgada através do Facebook poderia ter mudado o resultado da eleição presidencial era uma loucura, mas isto foi precipitado de minha parte. Este é um assunto muito importante para haver precipitação", declarou Zuckerberg.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP