Navigation

Agência reguladora chilena aprova vacina da CanSino contra Covid-19 para uso emergencial

Mulher é vacinada contra Covid-19 em Santiago 5/4/2021 REUTERS/Iván Alvarado reuters_tickers
Este conteúdo foi publicado em 07. abril 2021 - 22:44

Por Fabian Cambero

SANTIAGO (Reuters) - O órgão regulador de saúde do Chile aprovou nesta quarta-feira o uso emergencial da vacina contra Covid-19 desenvolvida pela empresa chinesa CanSino, no momento em que o país avança com uma grande campanha de vacinação e luta contra um aumento de casos.

O Chile foi palco de um teste em estágio final para a vacina da CanSino, e o presidente Sebastian Piñera disse no final de março que havia assinado um acordo para comprar 1,8 milhão de ampolas da vacina de dose única.

A vacina, que recebeu aprovação semelhante na China, México, Paquistão e Hungria, deve chegar em maio e junho, disse a Presidência, e pode ajudar a inocular as populações mais rurais do país, já que requer apenas uma injeção.

A vacina de dose única da Johnson & Johnson também teve um teste no Chile, mas um acordo há muito prometido para o fornecimento não se concretizou devido à demanda nos Estados Unidos e na Europa.

O Instituto de Saúde Pública (ISP) aprovou o uso emergencial do imunizante da CanSino por 10 votos a favor, dois contra e uma abstenção, para pessoas de até 60 anos.

O Chile vacinou até agora 7,1 milhões de pessoas com pelo menos uma dose das vacinas da Sinovac ou Pfizer/BioNTech e 4,2 milhões com duas doses. Seu objetivo é vacinar 9 milhões de pessoas com pelo menos uma dose até 9 de maio e 80% de sua população-alvo até julho.

O país enfrenta atualmente o pior surto do vírus até agora, atingindo um pico de mais de 8.000 casos na semana passada.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.