Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Agroquímica Syngenta é comprada por estatal chinesa

(Keystone)

A estatal chinesa ChemChina lança uma oferta de 43 bilhões de dólares (43,7 bilhões de francos suíços) ao grupo suíço de sementes e pesticidas Syngenta. Será a maior aquisição feita no estrangeiro por uma empresa chinesa.

O anúncio foi feito quarta-feira (3) pelas duas empresas. A transação se insere em um movimento de consolidação no setor de agroquímica. Trata-se de um revés para a americana Monsanto, que havia oferecido 45 bilhões de dólares, oferta rejeitada pelo grupo suíço no ano passado.

A oferta dos chineses é de 465 dólares por ação, mais um dividendo especial de cinco francos suíços por título, ou seja, um total equivalente a 450 francos suíços por ação, à taxa de câmbio de 1° de fevereiro.

Sempre na Suíça

“O dividendo ordinário proposto de 11 francos suíços será pago a mais”, precisa a Syngenta, acrescentando que a entrada em Bolsa futura do novo grupo é possível. “Syngenta restará uma empresa de estatura mundial com sua sede domiciliada na Suíça”, acrescenta o comunicado.

“As discussões entre nossas duas empresas foram amicais e construtivas e estamos satisfeitos que essa colaboração resultou no acordo que anunciamos hoje”, declarou Ren Jianxin, presidente da ChemChina. 

“Continuaremos a trabalhar com a direção e os funcionários da Syngenta para manter a posição de ponta da empresa no contexto agrícola mundial”, prosseguiu.

Compra recorde para a China

Concretamente, uma oferta pública de compra será lançada nas próximas semanas na Suíça e nos Estados Unidos.  A operação deve ser finalizada até o final deste ano. O novo acionista permitirá prosseguir a estratégia de investimento a longo prazo em inovação, escreve a Syingenta.

A direção atual da empresa suíça continuará a pilotar a Syngenta. Depois de concluída a transação, um conselho de administração composto de seis membros será presidido por Ren Jianxin e incluirá quatro membros do conselho atual.

Trata-se da maior aquisição até agora realizada por uma empresa chinesa, segundo a agência Bloomberg News. A China Nacional Chemical Corporation (ChemChina) fez várias aquisições recentemente, a última do fabricante alemão de máquinas KraussMaffei.

Resultados em baixa 

O grupo agroquímico de Basileia teve resultados claramente em queda no ano passado. O lucro líquido foi de 1,34 bilhão de dólares (1,37 bilhão de francos), 17% a menos do que em 2014.

O faturamento, devido a alta do dólar, caiu 11%, totalizado 13,4 bilhões de dólares. A taxa de câmbio constante, houve uma ligeira alta de 1%, segundo o balanço publicado hoje.

Le chiffre d'affaires, en raison de la force du dollar, a baissé de

As vendas da divisão principal proteção de culturas caíram de 12%, a 2,83 bilhões de dólares (+5% a taxa constante), enquanto as da divisão grama e jardim caíram de 7% a 648 milhões de dólares (+3% a taxa constante).

O resultado bruto operacional (EBITDA) do grupo caiu 5% a 2,78 bilhões de dólares. A marem de lucro operacional EBITDA melhorou ligeiramente a 20,7% contra 19,3% em 2014, apesar das flutuações de divisas, em particular do real brasileiro.

As vendas e o resutado EBITDA anunciados nesta quarta-feira (3) condizem com as estimativas dos analistas. No entanto, o lucro líquido está abaixo do esperado. Considerando os resultados, a Syngenta vai propor na assembleia-geral dos acionistas em 26 de abril um dividendo de 11 francos por título, o mesmo pago em 2014.


Adaptação: Claudinê Gonçalves

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×