Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Ajuda suíça ao Afeganistão limita-se a 20 milhões de euros

O líder afegão Hamid Kazai - na tribuna - perdão da dívida de seu país

(Keystone)

Em conferência internacional de 2 dias no início desta semana em Tóquio sobre reconstrução do Afeganistão, a Suíça decidiu entrar com Sfr 30 milhões. Um grupo de nações prometeu US$ 3 bi. ONU quer 10.

A conferência na capital japonesa reúne ministros das Finanças, diplomatas e representantes das Nações Unidas de uns 60 países, além de 20 organizações internacionais.

O objetivo é financiar a reconstrução do Afeganistão, país arruinado por 23 anos de guerra.

Pretensões suíças

A Suíça que não tem interesses estratégicos evidentes no Afeganistão fornecerá ajuda modesta correspondente a € 20.4 milhões (de euros!). E na ótica de sua tradição, essa ajuda estará particularmente voltada para setores humanitários.

Os Estados Unidos, segundo o secretário norte-americano de Estado, Colin Powell, vão fornecer, neste ano, 296 milhões de dólares (€ 335 milhões), além de 400 milhões para ajuda humanitária.

Colin Powell lembrou que US$ 4.5 bilhões foram consagrados, em outubro, à guerra contra os talebans (o que implica nas atuais destruições).

Estimativa da ONU

Segundo Kofi Annan, o Afeganistão avalia em 1.3 bilhão de dólares as necessidades imediatas de ajuda e em 10 bilhões - € 11.3 bi - as necessidades dos próximos 5 anos.

O Japão ofereceu US$ 500 milhões, a União Européia € 550 milhões. A Comissão Européia indicou que a ajuda da UE chegará a € 5 bilhões nos próximos cinco anos.

A contribuição da Grã-Bretanha será de € 325 milhões também no período de cinco anos. E a da Alemanha de 320 milhões nos próximos quatro anos.

O fundo especial a ser criado para a reconstrução do Afeganistão deve ser gerenciado pelo Banco Mundial, o Banco Asiático de Desenvolvimento e o Programa da ONU para o Desenevolvimento - PNUD.

swissinfo com agência.


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×