Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Aldeia global elege as maravilhas do mundo

O Taj Mahal, na India, poderia ser uma das sete maravilhas do mundo.

(Keystone Archive)

As sete maravilhas do mundo antigo poderão brevemente ser completadas por sete maravilhas mais modernas.

Essa idéia foi lançada por um cineasta suíço que incita os internautas a votarem nos sete monumentos que consideram os mais importantes de nossa época.

Há mais de 2 mil anos, o engenheiro grego Philon elaborou uma lista de monumentos que ele considerava os mais representativos da época. De todos eles, hoje ainda existe apenas a grande pirâmide de Gizeh, no Egito.

Na mesma lógica, o cineasta suíço Bernard Weber lançou outro projeto: estabelecer uma lista das sete novas maravilhas do mundo.

Ele explica que se trata apenas de dar nova vida a uma velha idéia, a de "relançar um antigo conceito grego como foi o caso dos Jogos Olímpicos", declarou à swissinfo.

A escolha das pessoas

Com a ajuda da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), ele listou 17 monumentos que poderiam ser considados como novas maravilhas.

Essa lista inicial foi publicada na Internet. Outros 8 monumentos foram posteriormente acrescentados, a pedido dos internautas do mundo inteiro.

Entre os selecionados estão o Taj Mahal, a estátua da Liberdade e o Kremlin.

"Há emoções ligadas a esses monumentos, declara Bernard Weber. Eles não são apenas construções porque existe um certo mito ligado a elas".

O cineasta acrescenta que todos os monumentos selecionados não são maravilhas arquitetônicas ou de engenharia como a Torre de Pisa, por exemplo. "Mas isso não elimina o valor simbólico".

Bernard Weber tentou não entrar em considerações religiosas ou políticas, mesmo se certos monumentos religiosos estão na lista.

«Santa Sofia, em Istambul, foi uma igreja antes de tornar-se mesquita. Ela continua a ser um símbolo de fé mas tamém de tolerância", explica.

O valor simbólico e impacto na consciência das pessoas são os elementos principais na escolha dos monumentos.

"Quando a Ópera de Sydney foi construida, falou-se da Austrália pela primeira vez. Para mim, isso colocou um continemente no mapa-múndi".

Um voto mundial

Bernard Weber apresenta seu projeto como primeiro verdadeiro voto mundial pela internet. Houve mais de 15 milhões de votos de mais de 200 países e territórios.

Os chineses foram os mais entusiastas colocando a Muralha da China à frente da classificação. Mas outros paíse mantém suas chances.

"Toda pessoa que participa do voto deve escolher sete monumentos", explica Bernard Weber. Evidentemente as pessoas votam no que mais conhecem mas esse processo poderá permitir a escolha de pelo menos um monumento para cada continente.

O cineasta espera que lista definitiva possa definir nossa época. "Esses monumentos deverão tornar-se os símbolos de unidade do mundo moderno, como as sete maravilhas foram o símbolo da Antiguidade", compara Weber.

"Se conseguirmos criar novos símbolos respeitando a diversidade cultural, poderemos ajudar na criação de uma nova consciência mundial, conclui o cineasta suíço.

swissinfo, Scott Capper
Tradução, Claudinê Gonçalves

Fatos

As sete maravilhas do mundo antigo:
o Templo de Artemis, a Grande Pirâmide (Gizeh), os Jardins Suspensos da Babilônia, o Mausoléu de Halicarnasse, o Farol de Alexandria, o Colosso de Rhodes, a Estátua de Zéus no Olimpo.

Aqui termina o infobox

Breves

- O Projeto das 7 novas maravilhas do mundo foi lançado na passagem do novo milênio, em 2000.

- A votação continua, atravês da internet. O resultado será anunciado em 2006, num programa de tv difundido no mundo inteiro.

- Alguns dos monumentos propostos: a Praça Vermelha de Moscou, o Coliseu de Roma, a Torre Eiffel de Paris, o Castelo de Versalhes, a Torre de Pisa, a estátua da Liberdade, a Muralha da China, as estátuas da Ilha de Páscoa, o Machu Picchu, entre outros.

Aqui termina o infobox


Links

×