Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Alpinista famoso acusado de homicídio

Erhard Lorétan lidou melhor com natureza que com uma criança (foto: www.loretan.com)

O alpinista suíço, Erhard Lorétan, foi inculpado de homicídio por negligência de seu filho de 7 meses. Lorétan - que escalou 14 picos de mais de 8.000 m - não suportou o choro do bebê...

O grave incidente ocorreu em 25 de dezembro. Somente agora é divulgado pela imprensa. O jornal 24 Horas, de Lausanne, dedica meia página com foto ao esportista. Le Temps, de Genebra, também descreve o drama e explica a causa da morte do bebê.

Os fatos

Dia 23 de dezembro, irritado com o persistente choro do bebê, Lorétan o pegou e o sacudiu, "não como um louco", insiste. Constatando que a criança desmaiara chamou a ambulância.

O bebê foi levado de helicóptero a clínica especializada de Berna (Kinderspital), mas já era tarde. Lesões cerebrais tinha sido fatais ao bebê, de apenas 7 meses. Como a morte era suspeita, o hospital, como de praxe, levou o caso à justiça. Um juiz de instrução ordenou autópsia, que confirmo os fatos.

Preso "para as necessidades do inquérito", Lorétan admitiu os fatos e foi liberado, depois de ter sido acusado de homicídio por negligência. E até permitiu ao juiz que seu nome fosse revelado à imprensa.

No jornal Le Temps, de Genebra, um pediatra lembra que até um ano um bebê não controla os músculos do pescoço. Basta agita-lo um pouco para que o cérebro se desloque. E uma hemorragia cerebral pode mesmo provocar a morte. E é o que aconteceu e "que acontece com certa regularidade na Suíça".

Herói solitário

Erhard Lorétan, 51 anos, é uma das figuras mais famosas do alpinismo, paixão que cultiva desde a adolescência. Ele é um dos 3 únicos alpinistas a escalar 14 dos picos do mundo de mais de 8.000 metros.

Praticando uma forma de alpinismo qualificada de "rápida e ligeira", em 1986, por exemplo, escalou 40 picos suíços em apenas 19 dias, lembra o 24 Horas, de Lausanne. Seu nome figura na lista dos que subiram montanhas famosas como Eiger, na Suíça, Kangchenjunga, de 8.586 m, no Himalaia e numerosos picos dos Andes.

Mas Lorétan é considerado uma pessoa bastante solitária. Em situações de risco, diante de leis da natureza, mostrou calma extraordinária. Diante de choro de um bebê, praticou um gesto considerado inexplicável.

Autópsia aprofundada deve revelar melhor as causas da morte. O alpinista pode ser condenado a uma simples multa ou a uma pena de prisão.

swissinfo


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

×