Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Aluguéis vão continuar a aumentar na Suíça

Proprietários têm menos problemas que locatários.

(swissinfo.ch)

Segundo um estudo apresentado na semana, os aluguéis na Suíça aumentaram 3,1% em 2006 e devem ainda subir 2,1% em 2007. Zurique e Genebra são as cidades mais caras do país.

O aumento geral, que chega a 20% em dez anos, vai continuar. Porém analistas acreditam que a tendência está chegando ao fim.

Segundo o estudo intitulado "Immo-Monitoring" (monitoração imobiliária) realizado pela empresa de consultoria Wüest & Partner, os proprietários serão menos atingidos do que os locatários pelo desenvolvimento no mercado.

As pessoas que possuem apartamentos terão um aumento de 1,3% dos seus custos, enquanto que os proprietários de casas familiares, 0,9%.

A evolução se explica pelo fato de que a construção de apartamentos para propriedade ultrapassa a de apartamentos voltados para locação. Em 2006, 17.000 novas unidades de propriedade foram construídas.

Zurique e Genebra em liderança

Os aluguéis irão aumentar em todas as regiões da Suíça neste ano. Zurique é a cidade mais cara para os locatários. Um aluguel está na base média de 1.500. Já a Suíça de expressão francesa não fica atrás: Genebra é a segunda cidade mais cara, com uma média de aluguéis pouco abaixo dos 1.500 francos.

Ainda segundo o estudo, a alta de preços deverá ser menor do que a média nas regiões da Suíça de expressão alemã, onde o nível já é bem elevado.

Uma menor aceleração dos preços também é esperada na Suíça de expressão francesa, onde os aluguéis aumentaram nos últimos anos acima da média e onde o potencial de alta está limitado por essas razões.

Essa evolução não deve ocorrer na região às margens do lago de Genebra, onde os preços devem aumentar consideravelmente devido à penúria de novos alojamentos.

Boa conjuntura

A recuperação econômica da Suíça e o afluxo crescente de mão-de-obra estrangeira contribuíram a fazer crescer a demanda por unidades residenciais de locação. No ano passado, a taxa de desocupação era de 2,3%.

É necessário aguardar que as atividades de construção no segmento se recuperem.

A construção de habitações está, de fato, em baixa na Suíça. Apenas 40 bilhões de francos serão investidos neste ano. O ápice foi atingido e curva da demanda de alvarás de construção está em baixa em todos os segmentos.

Mercado de escritórios em alta

O preço de espaços comerciais conhecem uma alta marcante. Nos últimos anos, escritórios e lojas tiveram aumentos médios dos aluguéis de 10%. Já os espaços industriais tiveram um aumento de 8%.

O mercado de escritórios terá em 2007 uma alta de 0,9%. A demanda por parte das empresas aumenta, segundo o estudo. O crescimento do nível de emprego assegura um reequilíbrio das disparidades em um setor que sofre até hoje de uma oferta sem medidas comparada com a demanda.

swissinfo com agências

Diferenças regionais

Zurique é a cidade mais cara, com um aluguel médio de mais de 1.500 francos para os locatários. Genebra é um pouco menos onerosa: a média dos aluguéis na cidade está pouco abaixo dos 1.500 francos.

A Suíça central tem uma média de aluguéis de 1.400 francos. Na Suíça de expressão francesa, os aluguéis ficam em torno de mil francos. Berna, Basiléia e a Suíça oriental têm uma média de aluguéis na base de 1.250 francos.

Na Suíça de expressão francesa sem incluir a região próxima ao lago de Genebra, os aluguéis são mais baixos: média de mil francos por mês.

Aqui termina o infobox

Nunca se construiu tanto

A construção de residências na Suíça aumentou 9,1% em relação a 2005: 41.700 novas unidades foram registradas no ano passado.

No final de dezembro, existiam 57.200 casas e apartamentos em construção, ou seja, 8% a mais do que no final de 2005.

Durante o ano, o número de alvarás de construção cedidos na Suíça em 2006 caiu em 2%, com diferenças regionais. Em Lausanne, a baixa foi de 25%, enquanto a região urbana da Basiléia teve um aumento da entrega de alvarás de 41%.

Aqui termina o infobox


Links

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

×